BiNeural Monokultur


ARIEL DÁVILA


ARIEL DÁVILA (Córdoba, Argentina) é diretor de teatro, dramaturgo e docente.

Teve sua formação no Teatro La Cochera e na Universidade Nacional de Córdoba, estudou direção com Rubén Szuchmacher e dramaturgia com José Pere Peyró, Paco Zarzozo e Mauricio Kartun.

Como ator trabalhou com os diretores Paco Giménez, Jorge Diaz, Rubén Szuchmacher e Constanza Macras, entre otros.

Como docente de dramaturgia deu seminários para o Instituto Nacional de Teatro (2005/6), para o programa de pós-graduação de dramaturgia na Universidade Nacional de Córdoba (2009/10), além de apresentar seminários de dramaturgia em diferentes locais do país. Desde 2005 oferece oficinas, seminários e clínicas particulares tanto de dramaturgia como de direção teatral.

Como dramaturgo trabalhou em “Torero Portero” (2001) (obra apresentada em Alemanha, Colômbia e Brasil) e “Sentate” (2003) (Teatro Sarmiento, Buenos Aires), ambas obras de Stefan Kaegi. Também trabalhou em “Corte Arganzuela“ (2009) e “Volk - Historias de Pueblos“ (2010) da compañía Puctum, de Cecilia Pérez Pradal, da Espanha.

Entre sus obras publicadas como autor se destacam: “Inverosímil - una tragedia mundana” (2002) (selecionada para a edição “Nueva dramaturgia argentina” (publicação do Instituto Nacional do Teatro) e apresentada em 10 encenações diferentes em Argentina e no exterior), “El ósculo del crepúsculo II” (2004) (editada por DocumentA/Escénicas), “Máquina ¿cómo es nuestro nuevo dios?” (2009) (editada por Argentores) e “Proyecto Landia” (2009) (com estreia feita pelo Programa Federal do Teatro Nacional Cervantes e editada por INT).

A maior parte destas obras também encenou como diretor.
Também foi diretor de obras de outros autores, como “La tercera parte del mar” (2001) de Alejandro Tantanian, “Visita en casa del padre” (2007) de Roland Schimmelpfennig (Semimontado) e “Alias Gospodin” (2009) de Philipp Löhle.

Desde 2004 trabalha com sua mulher Christina Ruf (diretora e dramaturga) no grupo BiNeural-MonoKultur.

Recebeu duas vezes o “Premio Estímulo” da província de Córdoba (2004/05) e também duas vezes o “Premio Estímulo” da Prefeitura de Córdoba (2005/06), uma “Mención a la Dramaturgia Joven” (2005, Festival de Invierno de la Municipalidad de Córdoba), além de menção na categoría “dramaturgia” para sua obra “Proyecto Landia” (Instituto Nacional de Teatro, 2011).

Ganhou uma bolsa de estudo do Instituto Nacional de Teatro (2005) e outra del ITI Germany / Goethe-Institut para uma residência no Hebbel Theater (Berlim, Alemanha, 2008). Em 2009 recebe a “Ayuda a la Creación en Dramaturgia” de Iberescena España. En 2014, su obra “Proyecto Landia” foi escolhida para o Plan Federal de producción do Teatro Nacional Cervantes com estreia no Festival de teatro de Rafaela.

arieldavila.blogspot.com.ar